NOTÍCIAS

Cresce obrigatoriedade de seguro viagem para turismo internacional

https://www.revistaapolice.com.br

Após a exigência ser estabelecida pelos países europeus, Cuba e Venezuela, agora é a vez do Equador passar a demandar o seguro viagem para os turistas que desejarem transitar pelo seu território. Essa obrigatoriedade está se tornando uma tendência mundial, uma vez que a preocupação com o aumento dos gastos com despesas médicas que os turistas possam ter, está cada vez mais, despertando a atenção dos governantes.

A fim de auxiliar os viajantes a não terem surpresas desagradáveis ao chegar em um novo país, Alexandre Camargo, Country Manager para o Brasil da Assist Card, destaca algumas dicas.

“É preciso muita atenção antes de embarcar. Cada país possui uma exigência e por isso é fundamental manter-se atualizado para não ser surpreendido ou até mesmo não conseguir completar a sua viagem. Além disso, também vale fazer uma busca sobre o preço de despesas hospitalares, que são muito altas em alguns países. Independentemente da obrigatoriedade, um seguro viagem pode ser essencial para que você tenha assistência caso um imprevisto aconteça”, destaca o executivo.

Países que exigem o seguro viagem

O mais recente país a exigir o seguro viagem é o Equador. A obrigatoriedade foi estabelecida em fevereiro de 2018, de acordo com a Lei Orgânica da Mobilidade Humana, que estabelece que qualquer pessoa que entre no país tenha um seguro de saúde público ou privado durante a estadia. Os demais países que exigem o seguro são: Cuba, Dubai, Rússia, Argélia, Irã, e os que fazem parte do Tratado de Schengen – um acordo assinado por alguns membros da Comunidade Europeia que estabelece a livre circulação dos visitantes, de modo que a apresentação do passaporte nas fronteiras dos países não seja obrigatória. Porém, não basta apenas a contratação do seguro, já que alguns países exigem uma quantia mínima de cobertura. Nos países do Tratado de Schengen, por exemplo, é necessária uma cobertura de, no mínimo, 30 mil euros.

“Percebemos que a consciência sobre a importância do seguro está crescendo. Os nossos passageiros estão cada vez mais preocupados não apenas com o aumento das exigências, como também com os elevados custos que podem vir a ter caso algo inesperado aconteça”, revela Camargo. Essa preocupação também está impactando diretamente o aumento da contratação dos seguros anuais – que prometem ser uma tendência dos próximos anos. Esse produto é valido para o mundo inteiro, durantes os 365 dias do ano, o que facilita a organização de quem viaja, já que não precisará ter preocupação com a contratação ao longo do ano.

Documentações exigidas

Além do seguro viagem, também existem outros pontos que devem ser analisados antes do embarque. Muitos destinos da América do Sul não exigem a apresentação de passaporte, porém ele é o documento oficial para, praticamente, todos os lugares do mundo. É fundamental não esquecer de colocar este item em sua bagagem. Não se esqueça também de verificar o seu prazo de validade, visto que deve estar ativo até, no mínimo, o retorno do passageiro ao país de origem. Outro ponto que é preciso ficar atento é em relação a exigência do visto para a entrada no país, mesmo se haverá escala. Em conexões nos EUA, por exemplo, apresentação do visto americano é obrigatória.

Vacinas

Alguns países também exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que comprova a vacinação contra diversas doenças, entre elas a febre amarela. O documento é exigido em mais de 130 países e por isso é importante manter-se atento.

Medicamentos

Se você faz uso de medicamentos regulares é extremamente importante a prescrição médica traduzida, pois pode acontecer uma fiscalização sanitária. Também é importante lembrar que eles devem ser levados na bagagem de mão e dentro das caixas originais.

“Nota-se como o planejamento para uma viagem internacional é essencial, não apenas pelas exigências e segurança, mas também para a garantia de que a viagem será realmente aproveitada. Assim, comece a programação com antecedência para não correr riscos e planejar com cuidado todos os destinos e passeios”, completa.